PRECISAMOS FALAR SOBRE O ARREPENDIMENTO MATERNO.

Orna Donath é uma socióloga que realizou em Israel uma pesquisa sobre o arrependimento materno. Lendo os depoimentos das mulheres que ela entrevistou, fiquei refletindo sobre o que teria tornado a experiência de ser mãe para essas mulheres tão pesada, levando-as ao arrependimento materno.

O arrependimento materno, assim como outros conflitos e afetos negativos são inerentes à experiência de ser mãe, muitas mulheres em algum momento vão questionar sua escolha pela maternidade e imaginar como seria sua vida sem filhos.

Questionamentos que pela minha prática clínica observo que muitas vezes elas só se arriscam a fazer no consultório de um analista, temendo as represálias que podem sofrer. Afinal, ainda vivemos em uma sociedade que acredita que a maternidade é algo inerente a natureza feminina, assim como o amor materno. Por isso, ela é a maior fonte de satisfação e realização para uma mulher.

Acredito que a falta de liberdade para falar dos conflitos que a maternidade desperta na vida de uma mulher e os tabus em torno dessa experiência pode ser um dos fatores que torna a experiência de ser mãe tão difícil e pesada para algumas mulheres que, ao serem silenciadas por uma sociedade repressora, perdem o direito de elaborar as dificuldades vivenciadas com a maternidade. O que poderia tornar a experiência de ser mãe mais leve e satisfatória.